Momento sério no seu Odeio e Justifico.

Primeiro que “seu” é o caralho. Isso aqui é meu.

Você realmente acredita que você pode mudar o Brasil?
Você realmente acredita que um bando de pobre favelado pode fazer alguém abrir o olho pra situação das favelas e da bandidagem?
Você realmente acredita que aquele documentário idiota serve pra mostrar a decadência da pivetaiada?
Pois é. Esqueça tudo que você já ouviu falar sobre “Seu voto pode mudar a eleição”. O que você vai ler aqui é a verdade, nua, crua e com rodelas de tomate ao molho bordô (se é que existe um molho bordô).

Eu tenho até certa experiência com esses lance de bandidage. Imaginem estudar em escola pública do interior, no pior dos períodos, por 3 anos. Na 5ª, 6ª e 7ª séries, 70% da classe era da bandidagem.
Classifiquemos então os ditos “bandidos”.
Sexo Masculino:
– Boné com a aba reta, de preferência de posto de gasolina ou de vereador;
– Bermudão até a metade da canela;
– Havaianas;
– Bicicleta – leia-se Monarcão.
– Ódio a* roqueiros – leia-se “completa repulsa por”
Sexo Feminino:
– Trajes sumários – usar 30% da roupa original, por exemplo.
– Havaianas;
– Seres do sexo masculino – de preferência, vários ao mesmo tempo, todos com Monarcão;
– Fixação por homens com veículos – quanto mais barulho fizer, melhor.

A música predominante sempre era o famigerado Rap. Essa é uma parte interessante, o Rap.
Podem perceber que os rapppers gringos, aqueles dos dentes encapados com prata, correntes, roupas caras e carros violentíssimos balançantes, falam de mulheres, sexo e como fizeram sexo com todas as mulheres da quebrada deles.
Rappers brasileiros contam sua situação triste, decadente e relatam a realidade com a mensagem subliminar de “Olha onde eu moro, broto. Eu vivo perigosamente, sou muito bacana, bicho“. Ou seja, a bandidagem deles é de um nível mais elevado que a nossa.

Bandido é bandido porque gosta. Bandido é bandido porque quer, não vai mudar. Pode votar à vontade. Nosso direito de voto foi retirado quando Cabral chegou aqui. Ou vocês pensam que isso aqui é uma democracia? O que você pensa quando ouve a palavra República?
Brasil é uma República, por sinal. Mas República Democrática se dá por entender um regime comandado por um presidente eleito pela escolha livre do povo.
Mas à partir do momento em que temos que votar no menos pior deles – ou para substituir o menos imbecil deles – nossa liberdade acaba. E ainda não temos o direito de escolher o candidato certo. Os partidos escolhem por nós. Brasileiro é tudo folgado mesmo.

Essa situação das favelas tem conserto sim. A gente tinha que pagar mais imposto. Sabe como é, a gente paga pouco imposto, tanto que o dinheiro é suficiente pra ajudar os favelados. Quando a gente pagar bastante imposto, eles deixam de ser favelados, aí a gente paga mais imposto ainda e eles finalmente terão a vida perfeita né.
Afinal, favelado não tem como trabalhar né. O jeito é a gente sustentar eles.
Bora pagar imposto pra acabar com a favelada!

Post com o axílio de Cláudia e Maria Imperatriz, minhas queridas professoras de História e Geografia, que se odeiam a ponto de trocar ofensas públicas.

[UPDATE]
Beira-Mar deixa Maceió e vai para Brasília

Ele vai morrer de inveja dos caras de lá.

Anúncios

Autor: Raphs

Três palavras definem bem o autor: velho mau humorado. Fisicamente, três anos a menos. Mentalmente, sessenta anos a mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s