Fãs de RBD não matam ninguém.

Se tem uma coisa que a televisão pode nos proporcionar é diversão. Agora, por exemplo, estou presenciando uma cena hilária no Video Game, jogo televisivo idiota que reúne alguns artistas globais que estão de janela em seus camarins fumando um cigarro, para participarem de gincanas idiotas e humilhações públicas do pessoal que tá na platéia segurando cartazes de Angélica Escolhe Euu!!!!!!.

Mas a linha que separa os momentos felizes dos momentos engraçados é muito fina, tênue e transparente. Embora o momento feliz seja divertido pra quem participa, pode ser extremamente entediante e depressivo para quem assite.
O Video Game é um programa feliz. Já o Superpop, atração noturna apresentada por Luciana Gimenez na RedeTV!, é um programa engraçado. Muito engraçado.


– Olha esse programa, que idiota!
– To vendo! To vendo! E você, Mussum?
– Cacilds! Me dá meu mé.

O Superpop é um programa sensacionalista que transforma qualquer frase mal colocada em manchete de GC, aquela faixa idiota que fica na tela com uma frase tão idiota quanto. As preferidas são aquelas palavras que ficam perdidas no meio da oração, que juntas formam uma frase apelativa e de MUITO efeito.

O programa é tão apelativo e tão previsível que pode anotar aí, amigo leitor. Toda quarta-feira, no intervalo do jogo de futebol da Globo, começa um inesquecível desfile de mulheres semi-nuas.
É bem mais fácil denominar assim, porque toda semana eles dão uma desculpa diferente para deixar modelos despidas no palco, com comentários do tipo “Nossa, essa cor ficou muito bonita em você. Dá uma viradinha pra câmera ver.”
Um pseudo-jornalista quase-amigo meu uma vez disse em sua coluna: O programa de Luciana Gimenez cometeu um grave erro essa semana. Não deixou as modelos mostrarem o bumbum, o que é inadmissível. A única coisa boa do programa é exatamente o bumbum das modelos.

As atrações preferidas de nossa querida atração são aqueles esquecidos pela mídia, que atualmente não fazem nada de útil e que um dia, num passado muuito remoto, também não fizeram nada de útil – a não ser aparecer em algum programa global, o que o transformaria numa estrela de primeira magnitude.

Mas o porque de eu escrever tudo isso, amigo leitor, foge da minha cabeça.

Ok, lembrei.

Brincando de orkute hoje à tarde durante o horário de trabalho, trombei com uma comunidade do PCC. Como que por mágica, nosso grande amigo Edu mandou-me quase que automaticamente uma comunidade do Hezbollah, aquele grupo de gente feia e malvada que você sempre ouve falar no Jornal Nacional, mas nunca se deu ao luxo de saber o que é.

Como está na moda citar o orkut como “comunidade cibernética em que jovens de todos os cantos do mundo podem se reunir pra praticar atos ilíticos e coisas erradas em geral”, a equipe de pauteiros (eu disse pauteiros) da RedeTV! tem pano pra manga pro resto de sua medíocre existência.
Citações ao orkut no Superpop são tão comuns quanto [insira aqui uma coisa muito comum], como da vez que uma apresentadora do canal foi ao programa dizer que foi “ameaçada de morte por quase mil pessoas”. Eu tinha um post feito sobre o assunto, só que deletei porque parece que ninguém tinha visto a matéria. Taí o vídeo, não precisa ver até o final porque não tem nada de importante – era só pra dar credibilidade ao que digo.

Pois bem. Digamos que um roteirista muito competente da RedeTV! tomasse conhecimento de tais comunidades e levando em conta o atual caos no Estado de São Paulo.
O programa inteiro ia ser sobre tais comunidades e como o orkut pode se tornar uma arma de alienação de inocentes mentes jovens.

Acho que a maioria dos frequentadores deste blog é como eu: já parou de trocar os canais aleatoriamente para reparar na babaquice das “reportagens” do Superpop.
Um narrador com uma voz MUITO forçada começa a falar enquanto fotos sobre o assunto vão passando na tela, como naqueles e-mails que todo o pessoal da empresa te passa com apresentação de slides contendo mensagens positivas em fundos paradisíacos.

Tem uma hora que o repertório de fotos acaba, então começa a repetir. E o narrador continua fazendo a voz sexy forçada. Pra ter uma idéia, é como colocar o Galvão Bueno pra narrar uma partida de xadrez a 2 metros do tabuleiro.
Totalmente fora de contexto, o narrador é interrompido por um BENG BENG do personagem babaca Crazy Frog, que eu, você e o todo mundo sabemos que já perdeu a graça faz muito tempo.


BENG BENG

E depois da “reportagem”, teríamos um elenco de convidados mais do que especiais . E já que o assunto é criminalidade teríamos: Tatiana Ex-BBB, Mathias Ex-Casa dos Artistas, um ator semi-conhecido de novelas do SBT e alguma gostosa que você nunca viu na vida e que no final do programa VAI PASSAR o telefone de contato, fazendo você ficar se perguntando: PRA QUÊ?!

Mas sabe de uma coisa? Eu e o professor Girafales preferíamos ter ido ver o filme do Pelé.

Observação de importância duvidável número 1:
O Théo estava de sacanagem, pessoal. Ele enganou vocês mas eu sabia do plano, kekeke. Além de ter dado um trabalhão da porra pra fazer o layout falso, Théo caprichou no novo template do Ato ou Efeito, fazendo dele mais… quente do que nunca.

Observação de importância duvidável número 2:
Há quanto tempo você não usa a palavra “Cibernético” em algum lugar ou lugar algum?

Observação de importância duvidável número 3:


BENG BENG
Anúncios

Autor: Raphs

Três palavras definem bem o autor: velho mau humorado. Fisicamente, três anos a menos. Mentalmente, sessenta anos a mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s