Não tenho medo do escuro

Fãs de Legião Urbana, uni-vos. É hora de tirarmos nossas camisetas pretas do armário, rasgar as nossas calças à altura dos joelhos, deixando nossas pernas brancas e peludas à mostra, e calçarmos nossos tênis mais sujos.

Em 2004, quando o filme Cazuza – O Tempo Não Pára foi lançado, o ‘boom’ do rock nacional foi espetacular. Parecia que os fabulosos anos 80 haviam voltado, todo mundo havia vivido os 80’s à mil. Caso você tenha vivido numa caverna nos últimos vinte anos, os anos 80 foram marcados pela revolução e expansão das bandas nacionais, principalmente pela cena do rock de Brasília, influenciada pelo punk inglês – na época tocado nos lugares mais undergrounds de Londres.

A fama de Cazuza na época aumentou vertiginosamente graças à uma única pessoa: Lucinha Araújo, assessora de marketing, que nas horas vagas costumava atuar como sua mãe. Através de entrevistas e todo tipo de mídia disponível, Lucinha idolatrava o finado filho como um Deus. Tanta exposição fez com que Cazuza, de grande letrista e intérprete, passasse a ser venerado pela galerinha adolescente como MAIOR DEUS DO ROCK NACIONAL DE TODOS OS TEMPOS.


Cazuza é como meu amigo Théo, um tanga.

Se na época as camisetas estampadas com a face de Cazuza formassem um país, elas possuiriam o terceiro PIB, teriam a maior concentração demográfica e maior taxa de natalidade mundiais. O público da faixa dos 14-16 anos foi atingido por uma avalanche de Cazuza, Cazuza e Cazuza. Seu nome começava a encabeçar listas de ídolos, suas músicas eram as mais pedidas nos botecos, Cazuza virou ícone pop.

O combate era cruel. Os novos fãs queriam provar aos antigos fãs de que eram mais fãs do que eles, porque tinham acesso a muito mais informação, vídeos e uma quantidade muito maior de Mp3. Toda uma coleção de discos de vinil empoeirados perdem o valor quando se tem a discografia inteira num disco de DVD. Todos os fãs mais antigos, daqueles que viveram a época, que conheço simplesmente abominam o filme e a imagem construída de Cazuza após o mesmo. Ele foi anárquico, rebelde e talentoso, mas em momento algum foi um mártir, um salvador da música. O fato de ter morrido no auge, assim como Kurt Cobain, o transformou num mito.

A imagem de outro ídolo contemporâneo, Renato Russo, ficou mais discreta. Os dois eram bissexuais, usaram praticamente todo tipo de droga e eram soropositivos. Porém a contribuição de Renato Russo à música nacional foi muito maior: ele praticamente trouxe o Rock para Brasília. Junto de Flávio e Fê Lemos, além de André Pretorius, fundaram o Aborto Elétrico, talvez a maior influência do rock nacional de todos os tempos. Cazuza foi um grande poeta, se você souber algo que ele fez além disso, me informe.

O fato é que tão fazendo um filme sobre Renato Russo.

Desde o começo da humanidade, é de consenso geral que os fãs de Legião Urbana, talvez depois dos flamenguistas e dos viciados em quadrinhos, são as pessoas mais chatas da face da Terra. Se fôssemos dividir os fãs de Legião em três grupos, seriam divididos em mais ou menos isso:

Simpatizantes

Gostam da música, têm algumas mp3 no computador. Sabe a letra das músicas mais famosas, mas nada além disso. Não possui camisetas ou qualquer tipo de souvenir referente à Legião Urbana.

Fanáticos

Gostam da música, têm a discografia em mp3 no computador. Sabem a letra da grande maioria das músicas, sabem uma ou outra parte de toda a história da banda e de seus integrantes. Entrevistas e matérias que citam levemente a banda despertam sua atenção, discutem sobre Legião com seus amigos, sempre a colocando no pedestal mais alto do Universo musical.

DOENTES

São APAIXONADOS pela música, têm a discografia em mp3 e em CDS, além de alguns discos de vinil embrulhados em sacos plásticos, conservados desde a década de 80. Além dos discos do Legião, possuem todos os trabalhos solo dos integrantes e material do Aborto Elétrico. Conhecem a letra de todas as músicas já tocadas pela banda em quinze anos de carreira, desde as mais conhecidas até as mais obscuras, cantadas em shows ou as canções preferidas de Renato Russo ao chuveiro.

Também decoram as falas de Renato no espaço entre as músicas, coisa bem comum nos discos ao vivo. Além da letra, estudam religiosamente o significado de cada palavra, cada entrelinha das músicas.

Têm como mestre tutor e messias o próprio Renato Russo, sempre usando citações suas como se fossem ditados chineses milenares. Qualquer comentário ou ofensa dirigida ao Messias Legionário é abolida da face da terra ao custo de horas e horas de explicações sobre ‘quem foi Renato Russo’, ‘Renato Russo uma vez disse…’ ou ‘se você está sentado nesta cadeira de bar e tomando esta cerveja, pode acreditar que Renato Russo tem uma parcela de culpa disso’. E claro, sempre se referem ao Messias simplesmente como “Renato”, usando só o primeiro nome como se fosse só mais um parente próximo ou que freqüentasse sua casa todos os dias.

Sabem não só a história da banda como a biografia de todos os seus músicos, incluindo detalhes como nomes de parentes, freelancers que tocaram por meio show e por onde eles andam atualmente. Têm um caderno onde escrevem todas as letras de todos os discos, como se os encartes e as letras na Internet não fosse o bastante. Usam a mesma camisa preta do Legião, daquelas com letra de música nas costas, desde 1998 em todas as festas, bares, encontros e shows que vai desde então. Camisa, inclusive, que está CINZA e com as estampas caindo aos pedaços, impossibilitando o reconhecimento tanto das pessoas como da letra. Possuem todos os livros, revistas, matérias e citações de meia linha sobre o Legião Urbana já publicados em quatrocentas e dezoito línguas diferentes.

E principalmente: abominam especiais da Globo sobre o Grão Mestre Tutor Divino Messias Legionário Poeta Renato Russo. Segundo eles, ‘isso só contribui para a popularização do mito, atraindo falsos fãs”. Isso quando não dizem apenas “globo fdp faz td errado aff tem nd a ve…. aff carai renato foi mto mais q isso”.

***

É claro que existem muito mais pessoas que NÃO GOSTAM de Legião Urbana do que fãs. Pagodeiros, micareteiros, a turma do funk, do rap, do sertanejo, até os primos metaleiros não gostam de Legião. Perceba que quando o assunto é Legião Urbana, não existe meio termo. É como comer merda: ou você come e gosta, ou você abomina e… BLOARGHADS GAHD.

Fãs chatos se multiplicando exponencialmente, estou pagando pra ver. Tava sentindo falta de flames por aqui.

Anúncios

Autor: Raphs

Três palavras definem bem o autor: velho mau humorado. Fisicamente, três anos a menos. Mentalmente, sessenta anos a mais.

67 comentários em “Não tenho medo do escuro”

  1. Mas voltando ao assunto do post. Erm… ah mudei de idéia, quero voltar não.
    Tava pensando aqui… faz tempo que não tem alguma resenha de fime poraqui hein…

    Curtir

  2. @Ingloryon

    Eu também jogava rag e tal :/
    Aleluia o vício saiu de meu corpo e hoje em dia os blogs foram pra minha mente, tanto que meu namorado é dono do mesmo que estou escrevendo agora.

    Quem curte deixar rag e arranjar namorado no blololololog mais quente da galáxia?

    Curtir

  3. Caralho, isso não pode ter rendido 52 comentários.

    Qual a diferença desse post pra uma imagem photoshopada do kibeloco que você tanto abomina? Mesma merda. Só tentando atrair leitores da maneira mais fácil e vazia possível.

    WTB bons posts

    Curtir

  4. @Laura

    É… blogs rox xD (velha gíria ridícula de jogadores de rag auehuae)
    Mas eu não curto arranjar namorado no blololololog mais quente da galáxia, sorry.
    Mas peraí… você tá namorando o Raphs?!

    Ah… eu já sabia! Você faz questão de deixar isso claro em todos os seus comentários ^^

    Curtir

  5. @Kel
    Agora são 57 comentários.

    Mas me fala… você tá carente, né? Quer um abraço?

    @todos
    Alguém dá um abraço nela aí… eu mesmo o faria, se não fosse essa dor nas costas *urgh*

    Curtir

  6. “Joga palavras-cruzadas… é ótimo! Ajuda a evitar os efeitos do mal de alzheimer /no1”

    /no1 pqp =/

    “É… blogs rox xD (velha gíria ridícula de jogadores de rag auehuae)
    Mas eu não curto arranjar namorado no blololololog mais quente da galáxia, sorry.
    Mas peraí… você tá namorando o Raphs?!

    Ah… eu já sabia! Você faz questão de deixar isso claro em todos os seus comentários ^^”

    Rox é saudoso. Tudo era tão rox no Rag =/
    Ah, dibowa, deixo claro mesmo, eu namorando ele mesmo, que fique bem claro.

    Curtir

  7. procuro saber o nome daquela bandinha de bosta que regravou a musica SERÁ. da Legião.
    a banda era muito fraquinha , mais ate que a regravação de SERÁ ficou meia boca.
    essa banda regavou tam bem musicas do metro e de outras banda nacionais.
    quem souber posta poraqui.
    valeu..

    Curtir

  8. Bom… primeiro quero dizer-te q adorei seu blog… achei muit interessante…
    Ah, qto a Legião Urbana… Segundo sua classificação sou fã fanática…
    Trato o Renato como um amigo intimo… e uso sempre frases dele!
    Tb tenho a discografia completa… não só da L.U. como trabalhos solos dele e de outros
    músicos da banda rsrsrsrsrs….

    Bom…. Fica com Deus e sucesso!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s