Ser hater nunca levou alguém a lugar nenhum

Neste momento eu convido você leitor a interromper qualquer tipo de atividade que esteja sendo exercida, pois vou revelar algo jamais revelado. Porque se fosse revelado antes, eu não estaria revelando, então releve.

Cientistas do sul do Zaire passaram os últimos dois anos correndo de guepardos como se não ouvesse amanhã. Como o guepardo só aguenta a velocidade máxima por alguns segundos, os cientistas aproveitaram as pausas para pesquisar sobre o comportamento social de uma espécie muito peculiar que habita este país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza.

Como estes cientistas pesquisavam a internet brasileira no meio da savana africana, eu nunca fiz questão de saber. O universo capitalista é assim: eu pago, eles pesquisam e chegam à conclusão de que a internet brasileira está cheia de pessoas absurdamente irritantes chamadas HATERS.

A não ser que você tenha vivido os últimos 60 anos numa caverna escura se alimentando de cocô de morcego e desenhando búfalos na parede, você já ouviu falar sobre haters.

Hater é aquele cara que diz odiar tudo, mesmo que na verdade não odeie, só pra pagar de ultra-fodão que nada contra a maré. Vamos a exemplos.

– Nossa cara, melancia é uma delícia.
– É só água aquela merda.

– Mano, comprei uma camisa da Brooksfield, a pomba é foda!!
– Marca de favelado emergente…

– Aí Maurício, chega aí em casa, vamos jogar um Pro Evolution Soccer no meu PS3!!!
– Aff cara, PS3 é uma merda, Xbox360 ruleia as teta. E PES é uma merda, prefiro FIFA

– *When you’re gonna stop breaking my heart*
– AH CARA TIRA ESSE TOQUE DE CELULAR, STEREO LOVE JÁ DEU PÁRA

Existe uma certa ironia em falar sobre haters nesse blog. Casa de ferreiro, espeto de pau? Afinal, depois de cinco anos escrevendo que odeio praticamente o universo todo, eu venho e falo mal sobre o mesmo tipo de pessoa que eu fui todo esse tempo. Estaria eu sendo hipócrita?

A resposta é sim, e não. Estaria sendo hipócrita se eu falasse mal de haters e continuasse sendo um, não assumisse isso e mandasse tomar no cu o primeiro cara a me confrontar com a verdade. A partir do momento que eu reconheço ser hater e mesmo assim falo mal deles, me incluindo no meio, me dá até certa credibilidade.

A verdade é que ser hater não te traz nada de bom. Ser hater na internet é ser attention whore – veja o exemplo que citei no post dos vlogs, onde disse que praticamente todos os vlogs e stand-up comedians do UNIVERSO (brasileiro) se dedicam apenas a falar mal das coisas. Agora, ser hater na vida real é ser um bucetão. Vamos conceituar bucetão?

Diferentemente do que você pensa, “bucetão” não faz referência direta ao órgão sexual feminino. Ser “bucetão” é ser um cara que, além de ser um grandissíssimo babaca em suas atitudes, fala uma coisa e faz o inverso. É tipo aquele cara que amaldiçoa três gerações do cara da TV que atropela 19 crianças porque tá bêbado, mas na primeira balada toma umas cervejas e sai dirigindo.

Ser hater é assumir que é retardado e reclamar da vida, quando o mais sábio a fazer seria ficar em silêncio.

Haters na vida real não atraem coisas boas – e estou dizendo isso por experiência própria. Nem todo mundo sai de casa com a intenção de reparar no comportamento alheio apenas para criticar. Ninguém é obrigado a aguentar seu “mau humor sarcástico”, então não fode, amigo.

Imagine a cena: você num barzinho, todo mundo dando risada sobre alguma coisa legal que aconteceu e você lá, incomodado com os caras da mesa do lado porque eles tão bebendo e gritando como se não houvesse amanhã. Eles não são problema seu, tão pouco se fodendo pra você e cá está você, bolado com eles. Quem tá ganhando a noite? Você, por odiar os caras em silênio, ou seus amigos, que tão se divertindo de verdade?

Se você quer ver um berçário de haters, visite o twitter. Eu diria que 70% dos twits que recebo todos os dias são “eu odeio x”, “y é uma merda”, “neguinho z tá fazendo w, que merda”.

PAREM DE RECLAMAR DA VIDA, SEUS RETARDADOS.

Nego fica querendo comparar quem tem uma vida mais fudida, “Ah, porque eu tenho que trabalhar no domingo!”, “ah, porque o convite daquela festa tá muito caro!”, “Ah, para com isso, eu tenho uma centopéia morando no meu glóbulo ocular e não falo nada!!!”. Reclamem da vida quando vocês tiverem problemas de verdade. Até lá, calem a boca.

Sabe o que eu acho mais legal? Hater que reclama da “vida de merda” que leva. Sim, é um fato real: se você tiver lendo e ainda assim achar ruim, você é um bucetão duas vezes.

“Ah cara, esse iTunes só me fode! Essa nova versão ficou uma merda! Imagina, como é que eu vou andar por aí com meu iPod organizando as músicas por artistas, não por ano de lançamento do álbum? Que vida de merda, cara!!!”.

Deixa eu ver se entendi. Enquanto tem gente que vê a linha da pobreza como uma bactéria vê um arranha-céu, sobrevivendo com 1 real por dia, você tá reclamando de uma disfunção do programa que acompanha seu mp3 player de 800 reais, que teu pai comprou quando foi pros Estados Unidos mês passado?

É sério isso?

Pra você aí adolescente que reclama da vida mais que velho de 84 anos, eu só digo uma coisa:

Haters gonna hate

Antes de publicar o post, fiquei pensando se eu mesmo não estava sendo bucetão em escrever isso tudo. Afinal, estou reclamando das pessoas que reclamam o tempo todo. O que salvou este post do limbo eterno do blog foi um alívio imediato causado por um conflito de idéias.

Reclamar dos haters é como você matar um pedófilo. Nada perdoa teu erro, mas você faz uma coisa errada para tentar fazer com que outras pessoas não façam coisas mais erradas ainda.

Então, haters, minha consciência está limpa. Desejo de todo o coração que vocês levem pregos nos olhos.

Autor: Raphs

Três palavras definem bem o autor: velho mau humorado. Fisicamente, três anos a menos. Mentalmente, sessenta anos a mais.

33 comentários em “Ser hater nunca levou alguém a lugar nenhum”

  1. Haters gonna hate…

    A nossa internet é um celeiro dessas figuras, e todo vlog que vejo, todo twitter que vejo, sempre tem alguém falando mal de algo/alguém. O que o hater faz, na maioria das vezes, é odiar a vida do outro, porque ele queria estar lá, mais não, ele se conforma em ser um bucetão que acha legal falar mal de tudo e todos.

    Curtir

    1. Na verdade, eu acho que o hater simplesmente é desiludido com qualquer coisa e tenta desafogar as mágoas falando mal do que os outros gostam e ele não consegue participar.

      É mais ou menos assim: todos os amigos dele começam a fazer troca de namoradas. Ele não tem namorada, então não pode trocar – logo, ele fala mal de quem faz swing.

      Curtir

      1. É mais ou menos assim: todos os amigos dele começam a fazer troca de namoradas. Ele não tem namorada, então não pode trocar – logo, ele fala mal de quem faz swing.

        Onde eu assino? IEUWAEHAIUEHWIUHAWIUEHWA

        Curtir

      1. Eu meu primeiro foi com relação a imagem escrito “Trol”… sei que você deve ter pego no google images, mas está escrito errado.
        Então o infeliz veio falar do português errado… mas falei que nem ligo para o português.

        é isso………

        Curtir

  2. Pessoas assim vão chegar aos quarenta e vão se odiar por ter passado a vida reclamando sem fazer nada. E vão passar os outros quarenta reclamando dessa constatação =] Fecha o twitter e abre um livro, não precisa ser romance, pode ser um livro técnico, vai aprender a fazer algo, pra você, por você, não pra mostrar pros outros… …mas ninguém pensa nisso né, o legal é mostrar pra todo mundo que você odeia alguma coisa… …enfim.

    Curtir

  3. Entro aqui todos os dias e acho as atualizações o máximo, cara, mas esse seu último texto ficou porco. Desculpa a sinceridade, mas acho que vc devia relê-lo e ver no que errou.

    Curtir

    1. Podecrê, cara!
      Eu vivo dizendo pro Raphs “Amigo, contrata um revisor! O OJ Foundation & Associates já tem grana o suficiente pra comprar Sertãozinho inteira e vc nessa ganância! Porra!”
      Mas ele sempre faz vista grossa e responde algo do tipo “KKK TO NEM AI KERO CAUSÁ MSM ASKFGASKFG”
      Fazer o que, né cara?
      Só nos resta xingar muito no twitter e dar um block e report for spam na vida :/

      Curtir

  4. Gostei muito do Post, acho que todos nós temos um pouco de Troll em nossas veias, lol
    Mas isso acontece mais para chamar atenção, tipo “nossa eu odeio minha vida” é mais impactante do que “eu amo tudo na minha vida!” Inclusive, se parar para pensar, a segunda frase para ser dita por um guria retardada que curte bichinhos de pelucia.
    Enfim, acredito no meio termo, apesar de ser uma tremenda Troll no meu blog.
    Mas gostei do post, super bacana seu ponto de vista.

    Curtir

  5. Vc eh um imbecil querendo aparecer que nem os 10000 menininhos que ganharam internet do papai e se achama alguma. esses terminho escroto de paulista eh pior ainda, blablablabla, hater, butt sei la o que kkkkk que coisa de emofag pseudo culto.

    Curtir

  6. “Vc eh um imbecil querendo aparecer que nem os 10000 menininhos que ganharam internet do papai e se achama alguma. esses terminho escroto de paulista eh pior ainda, blablablabla, hater, butt sei la o que kkkkk que coisa de emofag pseudo culto.”

    esse comentario ai foi escrito por mim.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s