Um estudo científico sobre a eterna rivalidade entre Pernalonga e Pica-Pau

A raça humana pode ser a pior moléstia que existe no Universo, mas uma coisa de boa ela descobriu: os números. Enquanto humanos mentem três vezes a cada dez minutos (freqüência que aumenta exponencialmente se você é pescador, político ou baladeiro), os números não mentem. Nunca.

Dois mais dois nunca será cinco. Nunca haverá raiz quadrada de número negativo. Uma integral indefinida sempre dará origem a uma equação mais uma constante. Não existem circunstâncias ou condições de contorno para verdades estabelecidas por números. O que é, é.

No extremo oposto disso estão as discussões virtuais. Se toda a raça humana fosse dizimada amanhã por um vírus presente na maionese, e sobrassem apenas duas pessoas no mundo com acesso à internet, as duas passariam o resto dos tempos discutindo sobre o que causou a dizimação.

Toda discussão internética acontece da mesma forma: cada um iria distorcer a realidade a seu favor, todos iriam aparecer com argumentos elaboradíssimos, ignorar qualquer verdade dita pelo outro lado, alguém iria perder a razão e citar Deus ou Hitler e, no fim, ambos perceberiam que gastaram horas de suas vidas discutindo sobre personagens de fantasia que não influenciam em nada a realidade.

Entretanto, a Internet (ah, essa Internet) proporciona um meio de comparar duas figuras incomparáveis sem gastar uma gota de saliva virtual sequer: uma Google Fight. O termo que apresentar maior número de resultados no Google vence, por motivos óbvios.

Assim, torna-se fácil descobrir quem ganha uma luta entre Goku e Hulk, quem é mais popular entre Jesus e os Beatles, ou sobre o que é pior: comer milho de aparelho ou comer feijão antes do primeiro encontro com a guria mais bonita do colégio quando se tem 13 anos.

Mesmo os números sendo incapazes de mentir, ainda existem problemas sem solução. São os chamados “Problemas do Milênio”, equações cuja solução é tão cabeluda que nem um estudante coreano consegue explicar. O curioso é que você não precisa ir longe pra achar um desses Problemas do Milênio. Eu lhe dou um agora mesmo:

Quem é melhor: Pernalonga ou Pica-Pau? Durante anos, tentei argumentar com meus amigos sobre a clara superioridade do Pernalonga. Os dois são marcos na história da indústria de animação, fazem parte da infância de milhões de pessoas, deram origem a um mercado gigantesco de produtos e tudo mais. Mas como decidir quem é melhor? Como resolver tal problema?

Acho que sei como resolver isso.

PP01

A busca por “Pica-Pau” obteve 13.600.000 resultados. Leva-se em conta que, mesmo sem o hífen, o resultado é exatamente o mesmo, afinal o Google trabalha com keywords. Vejamos como se sai o nosso amigo coelho.

pp02

Apenas 879.000 resultados, o que daria uma vitória esmagadora a Pica-Pau. Só que isso me cheira mal. Não pode ser tão fácil assim. Óbvio que, por pesquisar “Pica-Pau”, o Google me mostrou resultados referentes ao PÁSSARO pica-pau, aquele que bica madeira de verdade. Ok, então a pesquisa não pode ir para esse lado.

Vamos utilizar o nome original dos dois, afinal é impossível comparar “Pica-Pau personagem + Pica-Pau pássaro” com apenas um personagem.

pp04

Apenas 2.680.000 resultados, o que já é muito menos do que o resultado anterior. Vejamos o coelhoso.

pp03

PP05

Você por acaso lembra daquele dia no cinema, em que o Picolino lançou a bola pro Zé Jacaré, que defendeu e passou pro Pica-Pau lançar a bola pro Bill Murray, que jogou pra Michael Jordan fazer a cesta que salvou o Universo? Aquela cena em que todo mundo se espremeu na cadeira de tanta tensão? Lembra?

NÃO, FILHO DA PUTA. FOI O PERNALONGA. PICA PAU JÁ JOGOU COM O BILL MURRAY? E COM O MICHAEL JORDAN? NÃO, PORQUE PICA PAU NUNCA FEZ UM SPACE JAM. SEU MACACO.

Pica Pau está pra sempre na lista “Personagens que nunca salvaram o mundo”. Pernalonga não. Pernalonga está na lista “Personagens que mudaram sua infância e se tornaram IMORTAIS por terem salvado o mundo”. Quem está nessa lista? Goku. Ash. Jesus Cristo, cacete, PRATICAMENTE TODO MUNDO menos o Pica Pau.

— O que você achou de mais essa vitória INQUESTIONÁVEL, Raphs?

— Ah, com certeza, o time jogou bem, a equipe tava preparada, o professor instruiu a gente bem durante a semana, o adversário era forte mas a gente conseguiu superar, e agora é manter o ritmo aí porque a competição é longa e temos aí um adversário forte fora de casa no meio de semana e vamos nos preparar pra conseguir os próximos três pontos.

A conclusão que podemos tirar disso, e acho que toda a pesquisa fechou todas as prováveis lacunas nessa história, é que eu preciso de uma namorada pra preencher o tempo livre que eu tenho.

Sério cara, tipo, urgente.

Autor: Raphs

Três palavras definem bem o autor: velho mau humorado. Fisicamente, três anos a menos. Mentalmente, sessenta anos a mais.

Um comentário em “Um estudo científico sobre a eterna rivalidade entre Pernalonga e Pica-Pau”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s